quinta-feira, maio 19, 2022

segunda-feira, maio 16, 2022

A fidelidade de Deus não é como refrigerante que perde o gás depois de um bom tempo aberto e exposto

 


A fidelidade de Deus não é como refrigerante que perde o gás depois de um bom tempo aberto e exposto. As circunstâncias difíceis que estamos vivendo NÃO diminuem a fidelidade dele.
Ele fez a promessa mesmo sabendo que você não teria recursos. Ele sabia que sua igreja tem poucos membros e que você mora na baixada.

✅A fidelidade de Deus não tem como base a sua.
Ele fez a promessa mesmo sabendo que iríamos falhar em algum momento (ou vários)
Porque a fidelidade de Deus se baseia NELE em quem ele é.


✅A fidelidade de Deus nem mesmo é afetada pela opinião dos outros a seu respeito.
Podem dizer que aquilo que Deus te confiou deveria ter dado a outro. Podem passar horas em discussões e mais discussões pelas suas costas, convictos de que o tempo passou pra você e não volta .

NADA disso altera a fidelidade de Deus quanto ao que ele é e nem ao que ele disse a você.

Mas uma coisa está certa ai:
o tempo não volta!

E que bom que não volta!

Porque o que Deus te prometeu não era para a VOCÊ de ontem! É para a VOCÊ de hoje!
É inédito e é pra um NOVO TEMPO!

“Deus não é homem para que minta,
nem filho de homem
para que se arrependa.
Acaso ele fala e deixa de agir?
Acaso promete e deixa de cumprir?Números 23:19”

“Ele é a Rocha, as suas obras
são perfeitas, e todos os seus
caminhos são justos. É Deus
fiel, que não comete erros;
justo e reto ele é.”
- Deuteronômio 32:4

quarta-feira, abril 20, 2022

Deus está te dando uma nova chance _JEFTER Grupo liberdade,

 Sou Jefter do Grupo Liberdade .Trago algumas experiências ao longo de 30 anos atrás. Canções que libertaram pessoas

 

 

quarta-feira, abril 06, 2022

JEFTER do Grupo Liberdade

Quem conheceu o Jefter Grupo Liberdade ou escutou várias canções da Banda nas Rádios de sua Cidade como : Rádio Melodia, Rádio 93FM , Rede Aleluia e as Rádios Comunitárias do seu bairro. Estamos trazendo algumas trajetórias dos 34 Anos cheio de testemunhos pra contar. Se você foi abençoado com as nossas canções , conte seu testemunho que vou contar em nosso Canal . NÃO ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO NOSSO CANAL e o "sinhinho" também . PAZ....

 

sexta-feira, abril 01, 2022

Povo Paulista está de Parabéns

 

 

A partir  de agora o Povo Paulista tem mais um motivo para se orgulhar dos filhos da terra .

MIRVANE BARROS lança seu primeiro singer  " VEM CEIAR COMIGO  " .Você já pode ouvir nas principais Plataformas Digitais e também na Rádio Sem Limites com transmissão com os programas Sem Limites com Jefter Figueiredo nas FM
da região Metropolitana do RJ . 

Mirvane Barros da Cidade Natal de Caratinga - SP - Assembléia de Deus - Ministério Núcleo  vem se destacando em seu Ministério levando a música como forma de evangelização  para aqueles que precisam de ouvir quem é Jesus em suas vidas . A música "Vem cear comigo " diz que você pode convidar Jesus para está sua casa ceando com você. 

Uma das frases que a Cantora Mirvane Barros gosta de citar sempre : 

"Sonhar sim é bom e nos faz sentirmos vivos, agora fazer planos, projetar, temos todo o direito, desde que pedimos para Deus tomar a frente de tudo, porque é Ele que sabe do nosso amanhã." 

Seja você um dos colaboradores desse Projeto para ampliar a sua Evangelização em todo esse mundo.
Para ter acesso aos convites e colaboração você pode entrar em contato em suas Redes Sociais 
Facebook - Instagram @mirvanebarros ou pelo tel (11) 96444-3489
 
  Jefter Consultoria Marketing
REVIVER REPRESENTAÇÕES
 

 

Eu Permiti o Vento | Rebeca Santos do RIO TALENTOS GOSPEL -RECORD

       

Rebeca Santos Ganhadora do Programa RIO TALENTOS GOSPEL da Rede Record em 2003.GRAVA mais um Clipe COVER com a música "Eu Permiti o Vento " pela Produtora Bonfim Music.

segunda-feira, fevereiro 07, 2022

QUEM É QUE DEUS ABENÇOA c/ Pr. MARCUS GREGÓRIO

Várias dicas que você poderão te ajudar a alavancar seu Ministério !

quinta-feira, janeiro 27, 2022

Dicas pra Igrejas - Ensino Profético Apostólico


"Você sabia que o ensino Profético Apostólico e Pastoral eles se unem a uma essência que não tem haver com nome, título ou seja nada que é estético."

Isso mesmo, a Igreja tem uma doutrina apostólica, o obreiro tem uma visão apostólica ele tem uma visão de fé apostólica.

Pra ser uma Igreja Apostólica ela precisa de ser empreendedora, visionária, ela precisa de envolvimento quebra de paradígmas para um propósito. 

Ela precisa de ser uma igreja enviadora, saudável e mais ela não é conhecida pelo número de pessoas que você conta sentado aos domingos mas pelo número de discípulos que constrói ao longo dos anos. A Igreja Apostólica ela é aquela que vai. Ajuda outras igrejas, planta outras igrejas. Ela se associa com outras igrejas para fazer iniciativas do Reino d
e Deus .

quarta-feira, dezembro 08, 2021

Você precisa falar de Jesus para alguém


E hoje quero falar pra você algumas palavras de Jesus pra você . Quando Jesus estava na cruz ele foi pregado as 9h da manhã e morreu as 3 horas da tarde. Ele ficou 6 horas na cruz no momento que ele estava lá depois de ter sangrado muito sentiu uma sede muito forte . 

A sua lingua colou na sua boca e ele pediu água, gritou que estava com sede. E as pessoas com bambú ofereceram vinagre e ele tomou . Sabe porque ao lado dele tinha um ladrão que se arrependeu ele precisava dizer : " Hoje mesmo nós veremos no paraíso".

Que bom , esse é o meu Senhor, é nosso Senhor confie em Jesus em todos os momentos. Mesmo em momento de maior sofrimento na maior angústia. Ele estará bem perto de você pra te ajudar . Acredite Ele pode te ajudar. 

Deus te abençoe

sexta-feira, novembro 12, 2021

Honre quem você ama em vida - Bispa Priscila Rodovalho


 Nesses dias de muitas perdas, ficou mas evidente ainda a importância de amarmos e valorizamos as pessoas que são importantes em nossas vidas.

Não espere algo trágico acontecer para honrar e valorizar a memória das pessoas a quem você ama.

Honre quem você ama em vida!

Venha está conosco na Conferência de Mulheres Apascentar de 12 á 14 Novembro .
Garanta a sua Púlseira de Acesso :
(21) 2669-5757

terça-feira, outubro 12, 2021

Direitos da Mulher e a Lei Maria da Penha

 Escrito por Joyce Figueiredo 

1 INTRODUÇÃO

 

Este assunto irá apresentar uma pequena conceituação sobre sexo e gênero para proporcionar melhor entendimento sobre o direito feminino dentro da história, mostrando as lutas e dificuldades desse público, num processo que envolve preconceitos e estereótipos dentro de uma sociedade patriarcal e machista.

Para combater essa situação, diversas ondas e manifestações ocorreram ao longo do tempo, em busca de igualdade e valorização do público feminino. No caso específico do Brasil, a cearense Maria da Penha exerceu um papel essencial para solidificar esses direitos tão menosprezados por anos, através de sua história de luta e resistência por quase 20 anos.

Sua batalha motivou a promulgação da lei 11.340/2006, que dispõe sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher, representando uma conquista sem igual para muitas gerações, com pontos positivos que colaboraram para a defesa da vítima nessa situação tão complexa. Porém, a falta de investimento nessa área ainda é um empecilho para por em prática tudo que a legislação propõe.


2 DESENVOLVIMENTO

 

Antes de entender sobre o histórico da Lei Maria da Penha e os direitos conquistados pelas mulheres, é preciso estabelecer uma diferenciação entre sexo e gênero. O primeiro diz respeito às diferenciações biológicas do sistema reprodutor, masculino e feminino e o segundo relaciona-se aos papéis sociais e culturais construídos ao longo do tempo na sociedade, palco de preconceitos, estereótipos e desigualdade.

Sabe-se que até a renascença só havia uma concepção de sexo e as mulheres eram consideradas homens não evoluídos, tanto que seus órgãos nem eram estudados e sua menstruação era vista como algo negativo. Depois de muito esquecimento acerca desse gênero, no final do século XIX e início do século XX, surgiu a 1° onda feminista do movimento trabalhista sufragista, em busca de condições de trabalho regulamentadas e maiores direitos relacionados ao voto e a participação política. Já na segunda onda, nas décadas de 60 e 70, foi apontada a diferenciação de sexo e gênero e foram produzidos estudos sobre a opressão vivida por mulheres durante anos, com discussões sobre a objetificação, prostituição, dentre outras normas sociais, extremamente desiguais. Nesse período houve o surgimento dos anticoncepcionais, diminuindo o tabu da menstruação e do controle corporal da mulher.

No caso do Brasil, essas ondas permitiram a conquista do voto feminino e da licença gestante na Constituição de 1934. Além disso, surgiu, em 1962, o Estatuto da mulher casada como forma de exterminar sua incapacidade civil, anteriormente ligada ao poderio masculino. Um exemplo dessa situação ocorria quando um homem impedia legalmente sua mulher de trabalhar, com o pretexto de atrapalhar a unidade familiar. No entanto, essas mudanças não foram suficientes para acabar com o preconceito enraizado na sociedade.   

Um exemplo de tamanha injustiça ocorreu com Maria da Penha Maia Fernandes, nascida em 1945, formada em bioquímica e Farmácia na Universidade do Ceará, além de mestre em Parasitologia em Análises Clínicas pela Universidade de SP. De acordo com as informações da ibiografia, ela se casou em 1976 com Marco Antonio Heredia Viveros, um colombiano que buscava se restabelecer no Brasil.

No início do casamento tudo era maravilhoso (como em quase todos os relacionamentos), mas após o nascimento de suas filhas e a definição de Marco como cidadão brasileiro, tudo se desmoronou, e a paz familiar transformou – se num palco de agressões psicológicas e físicas, que atingiram não só Maria, mas suas 03 filhas.

O cúmulo do absurdo ocorreu em 29 de maio de 1983, quando o colombiano transtornado planejou uma tentativa de homicídio contra sua esposa, em seu próprio lar, mudando de vez a vida de Maria da Penha. Com a justificativa de um assalto, Marco simplesmente pegou sua arma e atirou em sua mulher, deixando-a paraplégica para sempre.

Inicialmente, Maria acreditou na versão do marido, mas aos poucos ela percebeu que a versão de crime acidental poderia estar equivocada.  Após 04 meses de internação com cirurgias e diversos procedimentos, Maria continuou sofrendo agressões de todos os tipos, até o ápice de outra tentativa de homicídio, quando Marco tentou eletrocutá-la no banho. 

Tudo isso gerou muita indignação até que, conforme informações de Cunha e Pinto, 2007, p. 11-16, em 28 de setembro de 1984, Marco foi denunciado para a iniciação de um processo que o levaria ao Tribunal do Júri somente em 04 de maio de 1991, com o resultado de sua condenação. No entanto, com a interposição de recursos, nenhuma prisão foi efetuada e no dia 15 de março de 1996 um novo julgamento ocorreu, com a condenação de 10 anos e seis meses de prisão. Mas como no Brasil há muita lentidão processual, mais um recurso foi feito, levando a efetivação de sua prisão apenas em 2002, ou seja, 19 anos depois do ocorrido.

Pode-se dizer que o descaso existia pelo fato do crime doméstico ser tratado com descrédito e taxado de leve pelo judiciário, logo, quando aconteciam casos dessa categoria, na maioria das vezes, tudo era resolvido com o pagamento de multas e cestas básicas, levando em consideração a falta histórica de direitos femininos ao longo do tempo.  

Vale ressaltar que, a condenação em 2002 só ocorreu graças a luta constante de Maria da Penha no caso, com a divulgação de seu livro em 1994 “Sobrevivi... posso contar”, além de várias tentativas de comunicação com organismos internacionais de direitos humanos. Até que em 2001 a Organização dos Estados Americanos (OEA) condenou o Brasil por omissão e negligência, de acordo com a conclusão do Relatório n° 54:

 

 

[...] a República Federativa do Brasil é responsável da violação dos direitos às garantias judiciais e à proteção judicial, assegurados pelos artigos 8 e 25 da Convenção Americana em concordância com a obrigação geral de respeitar e garantir os direitos, prevista no artigo 1 7 do referido instrumento pela dilação injustificada e tramitação negligente deste caso de violência doméstica no Brasil.

 

 

Além disso, foi recomendada a agilidade dos processos domésticos e uma sensibilização acerca dos danos causados à vítima.

A partir dessa mobilização internacional, o Brasil precisou se posicionar diante das demandas do público feminino, no caso específico da violência familiar, onde a mulher é considerada um gênero hiposuficiente, podendo ser exposta a vários tipos de agressões dentro do seu próprio lar.

Dentre as conquistas desse período, pode-se citar a prisão em 2002 de Marco Antonio, por crime de homicídio e a conquista da Lei Maria da Penha, de 07 de agosto de 2006, decretada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em homenagem a essa guerreira, que lutou por 19 anos por uma justiça efetiva.  

A lei n° 11.340/02 é de extrema importância dentro do arcabouço dos direitos humanos, visto que garante o tratamento devido às vítimas de violência psicológica, patrimonial, moral, física e sexual, dentro de seu ambiente familiar, com o devido acolhimento através de Delegacias e Centros Especializados; Casas-abrigo; Defensoria da mulher; Juizados e Promotorias Especializados, dentre outros instrumentos de muita valia para o público feminino.

Observa-se ainda dentro da legislação, em seu art. 3° a valorização efetiva “dos direitos à vida, à segurança, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, à moradia, ao acesso à justiça, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.”, a partir de articulações, por exemplo, com a Lei Orgânica da Assistência Social, o Sistema Único de Saúde e Sistema Único de Segurança Pública, em busca de oferecer uma ampla assistência à mulher, nesse momento delicado da vida, conforme o art. 9° da referida lei.

Outro ponto de muito valor é a possibilidade de medidas protetivas de urgência, definida por juiz de direito como forma de amenizar os danos sofridos pela vítima, podendo ocorrer de várias formas, conforme o Art. 22:

I - suspensão da posse ou restrição do porte de armas, com comunicação ao órgão competente, nos termos da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003 ;

II - afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida;

III - proibição de determinadas condutas, entre as quais:

a) aproximação da ofendida, de seus familiares e das testemunhas, fixando o limite mínimo de distância entre estes e o agressor;

b) contato com a ofendida, seus familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação;

c) freqüentação de determinados lugares a fim de preservar a integridade física e psicológica da ofendida;

IV - restrição ou suspensão de visitas aos dependentes menores, ouvida a equipe de atendimento multidisciplinar ou serviço similar;

V - prestação de alimentos provisionais ou provisórios.

VI – comparecimento do agressor a programas de recuperação e reeducação; e         (Incluído pela Lei nº 13.984, de 2020)

VII – acompanhamento psicossocial do agressor, por meio de atendimento individual e/ou em grupo de apoio.       (Incluído pela Lei nº 13.984, de 2020)

 

Em relação aos últimos dois incisos, é possível observar que a Lei n° 13.984 de 2020 trouxe uma inovação considerável em relação ao agressor, dando a oportunidade de um tratamento reeducativo com equipe multidisciplinar responsável pelo seu desempenho. Para tanto, é necessário uma valorização dessa temática nos estados e municípios, a fim de se alocar recursos específicos para o desenvolvimento dessa estratégia que visa modificar comportamentos, através da conscientização, visto que um ex-agressor pode se casar novamente e cometer os mesmos erros absurdos com outra parceira.

Vale ressaltar que, de acordo com a lei n° 13.641/2018, o descumprimento de tais medidas protetivas de urgência pode ocasionar a pena de 03 meses a 02 anos ao agressor, como forma de punição e limitação de tais práticas, a fim de promover eficácia legal.

Esses são alguns dos pontos positivos dentro da legislação, no entanto, existem certas dificuldades para pôr em prática toda essa conquista. De acordo com uma entrevista feita, pela Revista ÉPOCA, em 20/10/2019 com a tão famosa Maria da Penha, a maioria dos pequenos municípios do Brasil não é assistido por uma parte dos serviços especializados apontados na lei 13.340/2002, dificultando a proteção integral da mulher. Por exemplo, muitos locais não possuem Juizados de Violência Doméstica e Familiar, gerando lentidão e perda de prioridades dentro das varas comuns.

Outro dado importante é a previsão legal de acompanhamento psicossocial, programas de recuperação e reeducação ao agressor como forma de medida protetiva, mas nada disso pode se concretizar se não existir um grupo de trabalho específico para essa temática dentro dos próprios municípios. Atualmente existe o CR homem, em Duque de Caxias, com uma equipe multidisciplinar para o tratamento adequado aos agressores, servindo de exemplo para os demais municípios implementarem essa tão valiosa iniciativa.

Ou seja, é necessário investimentos em Juizados, Delegacias, Centros Especializados e até mesmo casas-abrigo, visto que muitas mulheres dependem economicamente dos maridos e acabam adiando a denúncia por não terem para onde ir. Daí também surge a necessidade legal de uma articulação com a esfera do trabalho e da educação para promover a independência dessas mulheres, através de parcerias com cursos e empresas que promovam a emancipação e, consequentemente, o rompimento do ciclo da violência.

 



3 CONCLUSÃO

 

Esse trabalho foi de extrema valia para entender a dificuldade da mulher em exercer seus direitos ao longo do tempo, dando destaque a atuação de Maria da Penha nas conquistas históricas brasileiras, no que diz respeito à violência doméstica de todos os tipos.

Vale ressaltar que a lei 11.340/06 não trata apenas das agressões físicas e sexuais, mas também das psicológicas, morais e patrimoniais, muitas vezes, ignoradas pela sociedade. Isso é algo muito preocupante, visto que, diversas mulheres vivem por anos sendo aprisionadas psicológicas acreditando que nunca vão encontrar alguém melhor do que seus maridos. Além do fato delas se sentirem presas financeiramente, com filhos e contas para pagar, num ciclo sem fim de destruição em todos os aspectos da vida.

Muitas delas são manipuladas emocionalmente pelos seus cônjuges e afastadas de seus familiares, sem nenhum tipo de convívio social, até mesmo para expressar toda indignação pelo qual são tratadas. Acorrentadas por uma tortura moral e psicológica elas se vêem sem auto-estima e forças para denunciarem esses atos truculentos, por isso é importante a disseminação dessa lei e a sensibilidade das pessoas para promover encaminhamentos para instrumentos de defesa da mulher, com a maior rapidez possível, já que, os ataques verbais podem se transformar em físicos, chegando a um ponto irreversível.

Para que toda essa proteção seja efetiva, é necessário um maior investimento público na área da violência doméstica, visto que o Brasil possui a quinta maior taxa de feminicídio do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e há muito para se avançar nessa área.

Logo, o primeiro passo já foi dado, mas é preciso colocar em prática todos os requisitos da lei, além de promover melhores conscientizações sobre os tipos de violência e como elas se desenvolvem no seio familiar, muitas vezes, de forma sorrateira e silenciosa, mas que no fim causam estragos avassaladores.


REFERÊNCIAS

 

A trajetória jurídica internacional até formação da lei brasileira no caso Maria da Penha. Âmbito Jurídico. 01 de set. de 2010.  Disponível em: <https://ambitojuridico.com.br/edicoes/revista-80/a-trajetoria-juridica-internacional-ate-formacao-da-lei-brasileira-no-caso-maria-da-penha/> Acesso em: 30 de out. de 2020;

 

BRASIL. Lei n° 11.340, de 07 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8º do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 7 de ago. de 2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm> Acesso em: 30 de out. de 2020

 

BRASIL. Lei n° 13.984, de 03 de abril de 2020. Altera o art. 22 da Lei nº 11.340, de 7 de agosto de  2006 (Lei Maria da Penha), para estabelecer como medidas protetivas de urgência frequência do agressor  a centro de educação e de reabilitação e acompanhamento psicossocial. Diário Oficial da União, Brasília, 03 de abril de 2020. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20192022/2020/Lei/L13984.> Acesso em: 30 de out. de 2020;

 

De Oliveira Prates, Simone e Cristina Ramos Quintana, Silmara. DEZ ANOS DA LEI MARIA DA PENHA Evolução do Sistema de Garantia de Direitos no Combate à Violência Doméstica e Familiar no Município de Campinas. Disponível em:

<https://portal.unisepe.com.br/unifia/wpcontent/uploads/sites/10001/2018/06/007_lei_maria_penha.pdf> Acesso em: 30 de out. de 2020;

 

Fuks, Rebeca. Maria da Penha ativista brasileira. Ebiografia. Disponível em:

<https://www.ebiografia.com/maria_da_penha/> Acesso em: 30 de out. de 2020;

 

Kariny L. Pontes, Ana e de Azevedo Neri, Juliana. Violência Doméstica: Evolução Histórica e aspectos processuais no âmbito da Lei 11.340/2006. Rev. Jur. FA7, Fortaleza, v. IV, n. 1, p. 201-214, abr. 2007;

 

Madureira Paulo, Bernadeli. LEI MARIA DA PENHA: aspectos gerais e lacunas. Revista Eletrônica da FAMINAS-BH. Disponível em: <https://www.faminasbh.edu.br/upload/downloads/201112061837123613.pdf> Acesso em: 30 de out. de 2020;

 Maria da Penha: 'A mulher morre quando não há política pública'. Época Negócios, 20 de out. de 2019. Disponível em:

<https://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2019/10/epoca-negocios-maria-da-penha-a-mulher-morre-quando-nao-ha-politica-publica.html> Acesso em: 30 de out. de 2020; 

O que são as ondas do feminismo. Medium. 08 de Mar. de 2018. Disponível em: <https://medium.com/qg-feminista/o-que-s%C3%A3o-as-ondas-do-feminismo-eeed092dae3a> Acesso em: 30 de out. de 2020;

 Taxa de feminicídios no Brasil é quinta maior do mundo. Geledes. Disponível em:

<https://www.geledes.org.br/taxa-de-feminicidios-no-brasil-e-quinta-maior-do-mundo/?gclid=CjwKCAjwsMzzBRACEiwAx4lLG8GZEifBBGGn2qAvhj0m4uTuZYoG-lXrt09mAf9WbpGeKXJ1QQrjtRoCjgMQAvD_BwE> Acesso em: 30 de out. de 2020.

 

 

 

sexta-feira, outubro 01, 2021

Obrigação e Liberdade

 


Percebemos que o ato moral é complexo e a ética não oferece “receitas” para agir bem. Cabe ao sujeito moral viver de maneira dramática, as contradições irreconciliáveis entre dois pólos, como o social  e pessoas a tradição e a inovação e assim por diante.

 

 Não há como optar por apenas um desses aspectos mais sim admitir que eles constituem o próprio tecido da moral.

 

Igualmente, não deixa de nos intrigar o fato de que o ato moral exige obrigação e liberdade, conceitos aparentemente contraditórios.

 

Se a construção da consciência moral se reduza a partir da aprendizagem da autonomia e da convivência. Temos de admitir que o ato moral é um ato de vontade de um sujeito livre.

 


A vontade distingue-se do desejo que é involuntário e tende de forma imperiosa para sua realização. Por serem os desejos muitas vezes seria impossível atender a todos eles. No entanto o que o ser livre busca não é a anulação do desejo mais sim ter condições para escolher e decidir o que fazer em determinada situação.

 

Nesse sentido o desejo não desaparece nem é reprimido, mas permanece na consciência como desejo possível de ser realizado ou não conforme a própria vontade.

Por outro lado a decisão voluntária cria um “dever ser “ já que resulta da consciência da obrigação moral. Não se trata de qualquer obrigação porém o dever moral não se cumpre devido a constrangimento externo mas a partir da norma livremente assumida. Só há moral madura quando o indivíduo decide por sua própria iniciativa.

 

Para que o imperativo da regra moral se imponha de maneira autônoma na nossa consciência, é preciso discernir entre os valores que tocam a nossa sensibilidade. A nos orientarmos priorizando certos valores e excluindo outros estamos mobilizados por um projeto que não diz respeito apenas a nós, como individuo,mas a coletividade da qual participamos.

 

Por isso, todo ato moral está sujeito a sanção, ou seja merece aprovação ou desaprovação, elogio ou censura. O senso moral reage porque nossa afetividade foi atingida. Por exemplo, certos atos considerados imorais, como a tortura, provocam nossa indignação.

 

Redação: Joyce Figueiredo

Coordenação : Jefter Figueiredo

terça-feira, setembro 28, 2021

Filosofia é um modo de pensar

 

A filosofia é um modo de pensar, e é uma postura diante do mundo. Ela não é um conjunto de conhecimentos prontos um sistema acabado, fechado em si mesmo.

Ela é, antes de mais nada um modo de se colocar diante da realidade procurando refletir sobre os acontecimentos a partir de certas posições teóricas. Essa reflexão permite ir além da pura aparência dos fenômenos em busca de suas raízes e de sua contextualização em um horizonte amplo que abrange os valores sociais históricos econômicos políticos, éticos e estéticos por essa razão  ela pode se voltar para qualquer objeto pode pensar sobre a ciência seus valores seus métodos seus mitos, pode pensar a respeito da religião, pode pensar sobre a arte, pode pensar acerca do próprio ser humano em sua vida cotidiana. Uma história em quadrinhos ou canção popular também pode ser objeto da reflexão filosófica.

A filosofia é um jogo irreverente que parte do que existe crítica coloca em dúvida faz perguntas importunas abre a porta das possibilidades faz-nos entre ver outros mundos e outros modos de compreender a vida .

A filosofia incomoda porque questiona o modo de ser das pessoas das culturas do mundo. Questiona as práticas políticas, científica, técnica, ética, econômico, cultural e artística. Não há área em que ela não se meta, não perturbe e , nesse sentido a filosofia é perigosa subversiva, pois vira a ordem estabelecida de cabeça para baixo.

Essa subversão da ordem , entretanto, não é feito gratuitamente, não é quebrar regras e costumes simplesmente por quebrar. A maior parte dos filósofos subverteu a ordem porque ao indagar sobre a realidade de sua época, fez surgir novos possibilidades de comportamento e de relação social do ponto de vida da ordem estabelecida, isto é, das instituições e da ideologia dominante, eles destruíram uma tradição.

Do ponto de vista da história, eles nos fizeram ver injustiças arbitrariedades dominação e exploração.

Se o patriarcalismo, como ordem divina da criação por exemplo, não tivesse sido colocado em dúvida por pensadores de ombros os cercos e por pessoas engajadas no movimento em prol da igualdade de homens e mulheres em termos de capacidade intelectual e moral, estas ou seja mais de 50% da população mundial ainda hoje não seria considerada cidadã nem teria direito de voltar e ser cobrada.

Filosofia ética e moral

Na linguagem comum os conceitos de éticas e de moral são usados como sinônimo , não há problema em considerá-los de maneira equivalente, apesar de existir uma diferença entre eles.

A moral é o conjunto de regras de condutas assumidas livre e conscientemente pelos indivíduos com a finalidade de organizar as relações interpessoais segundo os valores do bem e do mal .

A ética, ou filosofia moral é mais abstrato, constituindo a parte da filosofia que se ocupa com a reflexão sobre as nações e os princípios que fundamentam.

Por exemplo, são questões éticas indagar a respeito do que é o bem e do que é o mal, o que são valores qual a natureza do dever em que consiste a moral autônoma, qual a finalidade da ação moral, e assim por diante as respostas a essas e outras indagações caracterizam as diversas concepções de vida moral elaboradas pelos filósofos no decorrer dos tempos . A moral é também o movimento que fazemos para aceitar criticamente as normas herdadas ou modificá-los de maneira autônoma.

O sujeito moral

Os valores são além de relativa ao lugar e ao tempo também subjetivos isto é, dependentes das avaliações de cada  indivíduos. Ora, se cada um pudesse fazer o que bem entendesse não haveria moral propriamente dita . Na verdade o sujeito moral entre os valores como fruto da inter subjetividade, ou seja da relação com os outros. Não é o sujeito solitário que se torna moral, pois a vida moral se funda solidariedade e pelo reconhecimento de outro que cada ser humano se descobre a si mesmo.

Valor é descobrir aquele que convém ao sujeito na medida em que pertence a um grupo.

A moral não um instrumento de constrangimento, mas sim de humanização. Ela se traduz na busca de convívio enriquecedor, que torna as pessoas melhores e proporciona a criação de um mundo mais justo.

Escrito por  Joyce Figueiredo  

          

sexta-feira, setembro 24, 2021

Midian Lima faz dueto com Delino Marçal com a música Você não Imagine -Clipe oficial da Mk Music

A sensibilidade pode ser uma das principais características do cantor e compositor DELINO MARÇAL, vencedor do Grammy Latino 2019 e autor de diversos sucessos. Prestando atenção ao ambiente ao seu redor, ele não hesita em usar sua experiência, dor ou conquista como fonte de inspiração para a música e revelar novas perspectivas. Sempre carregue muita emoção e verdade. “Deus é Deus”, “Guardião do meu coração”, “Vim falar com Deus” e o mais recente “Deus de Perto” (criado e lançado durante o isolamento) são algumas referências à sua versatilidade e talento. Agora, ele lançou uma série de novos singles, "Você Não Imagina", não apenas uma participação especial de Midian Lima. Neste novo momento, Delino Marçal assumiu a produção musical de todo o projeto. “Ao longo de 2020, "passei por muitas mudanças em minhas visões de vida e ministério, reafirmando valores e influências." Claro, meu trabalho ... Quero ser o mais fiel possível na produção da música. 

Fonte: MkMusic

Quando vamos nos livrar das amarras do uso de máscaras e do distanciamento social?



Nossa expectativa é que o mundo precisará atingir um índice de vacinação muito alto e cuidados como o uso de máscaras, por exemplo, pessoas, não tenho ilusões, precisaremos usar máscaras por muito tempo. Principalmente em lugares lotados ou em transporte público. Vamos enfrentá-lo, hoje, quem de nós tem coragem de embarcar em um avião fechado por algumas horas sem máscara? Como todos sabemos, uma pessoa é infectada mesmo sem apresentar sintomas. Se a pessoa espirrar, 200 milhões de partículas de vírus serão lançadas no ar daquele ambiente. Então, você não pode entrar no trem, não pode entrar no navio, não pode entrar no navio, não pode estar na barcaça do navio, não pode estar em nenhum transporte fechado lugar, cito apenas o transporte, porque isso é importante para quem não usa máscara. Distância física, ainda é inconveniente. 

Então assim, ainda vamos ter um tempo difícil, o ano de 2021 não é um ano normal em nossas vidas ainda a utilização de máscara ainda vai nos acompanhar por muito tempo.  

Fonte : Margareth Dalcolmo (Fiocruz)

quarta-feira, setembro 22, 2021

Fenig inaugura loja no TopShopping de N.I

                                            Foto Fenig

“Definir artesanato é muito complicado porque vem da alma e da identidade do artesão. É como a essência e a matéria-prima extraída de cada um de nós, usada para produzir fragmentos de perfume. É uma honra ser artesão. I sou muito grata ao Fenig por ser um artesão. Pelo apoio que nos deram na avaliação e divulgação do nosso trabalho ”, disse Luciana Durval, uma das coordenadoras do“ Fenig Mais Top Espaço do Artesanato ”que foi inaugurado no terceiro andar nesta sexta-feira ( 17). TopShopping, localizado no centro de Novo Iguaçu. As lojas do shopping foram totalmente revitalizadas e um novo modelo de negócios foi estabelecido para valorizar ainda mais o já renomado artesanato da cidade.

Fonte - Fenig

quarta-feira, setembro 08, 2021

Postura de um Levita nas Igrejas


A postura de um Ministro não é apenas cantar ou tocar, ele jejua, dá testemunho, dá uma palavra á igreja, prega e tem testemunho da vida cristã. Para você falar o que Jesus é, você precisa ser  o que Jesus quer!

Tanto o ministro e principalmente a equipe de louvor, devem manter a maior reverência possível, pois todos visitantes estão de olho em você ! todo e qualquer movimento que você fizer eles o verão.

Não se deve :

- Conversar ou combinar arranjos durante o culto

- As mulheres não devem usar roupas muito curtas ou decotadas

- Virar as costas para a Igreja

- Deixar de usar bíblia, o louvor não apenas toca ou canta, ele deve ser um exemplo, orando, lendo a bíblia e participando de todos os cultos.

- Nunca afinar instrumentos na hora do culto, pois além de ser uma falta de educação, isso irá quebrar a reverência do culto.

- Nada de chegar atrasado e muito menos sair da igreja depois de tocar

- Se caso alguém errar nunca olhe para trás (talvéz ninguém tenha notado )

- Seja sempre discreto, se algo der errado acontecer, deixe parecer que está tudo sob controle, não deixe de tocar por uma simples discussão, seja adulto, peça o perdão.

- Muitos ministros gostam de fazer "aquela pregação" entre uma múisca e outra, evite isso, pois pregação é papel de pastor .

- Não abondone seu posto na hora da pregação, muitos músicos acham que seu culto acabou na hora em que começou a pregação.

- Só desligue o seu instrumento na hora em que o culto for encerrado, pois alguém pode pedir uma música especial.

- Evite criar " certas manias" ao executar o instrumento, principalmente diante da igreja,

- Não discuta por coisas banais e nem alimente o ódio por um simples erro do companheiro. (quem é que não erra ? )

- Não chegue atrasado, não tem motivo que justifique seu atraso.

Um levita não apenas canta ou toca, ele jejua, dá testemunho, dá uma palavdra á igreja, prega e tem testemunho da vida cristã.


Fonte: Estudo e Ministração para Levitas

Pr Marcus Gregório

sexta-feira, agosto 06, 2021

A QUESTÃO HABITACIONAL E A ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL

 


Sabe-se que a questão habitacional é um tema muito importante na sociedade brasileira. Desde a abolição da escravatura, os negros e pobres foram marginalizados e segregados da população, sendo obrigados a habitarem em locais inapropriados, de risco, sem esgoto e condições básicas de vida.

Com o passar dos anos algumas mudanças foram feitas para minimizar esta desigualdade social. Em 2004, o Ministério da Cidade criou a Política Nacional de Habitação para estruturar um sistema capaz de atingir a população de baixa renda. Através, por exemplo, do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social, que de acordo com o artº 7° da Lei 11.124/2005, gerencia e centraliza recursos para programas sociais.

Os avanços nesta área foram garantidos, principalmente pela participação popular e os movimentos sociais vivenciados na história da sociedade brasileira e o profissional de Serviço Social têm um papel indispensável nestas mudanças significativas para a população menos favorecida.

Primeiramente, o Assistente Social pode exercer o papel de orientação e mobilização sobre práticas participativas, como os Conselhos, Audiências Públicas, Conferências, Fóruns, Orçamento Participativo, entre outras formas de inserção da sociedade civil nas políticas habitacionais, garantindo assim maiores resultados a todos.

Depois desta participação eficiente, alguns programas do governo começam a ser executados e este profissional atua principalmente através do Trabalho Ténico Social (TTS), que possui “instrumentos capazes de viabilizar a participação e organização dos moradores, estimulando a correta ocupação do espaço coletivo, gerando o compromisso com a conservação e manutenção dos imóveis” (LORENZINI, 2012, p.7).

O TTS conta com o apoio da CAIXA e de acordo com o seu Caderno de Orientação Técnico Social (COTS) no Anexo II, existem diversas ações a serem realizadas, como o acompanhamento das obras; integração com o entorno; convivência com o meio ambiente; fortalecimento de valores; ações para redução do analfabetismo; capacitação profissional entre outros.

O Assistente Social participará do diagnóstico das necessidades da população, já que muitos nunca viveram em um condomínio, por exemplo. Sendo necessária uma conscientização sobre a boa vizinhança e a preservação das instalações, além de outras formas de desenvolvimento pessoal e coletivo.

O protagonismo do usuário através dos programas do governo também pode existir através da utilização de mutirão, que de acordo com o COTS, é uma cooperação mútua entre as pessoas para a construção de suas próprias moradias, reduzindo custos e gerando novas oportunidades.

Logo o profissional de serviço social atua informando sobre as diversas formas de mudar a realidade habitacional das pessoas e ainda auxilia na perenidade daqueles que conseguiram suas próprias casas, através de atividades que promovam o bem-estar entre os indivíduos, conscientizando sobre direitos e deveres, promovendo a igualdade e dissipando as injustiças.

 

Autora: Joyce Costa Figueiredo.

 

 

 

segunda-feira, agosto 02, 2021

40 Milhões de gatos em todo Brasil merece o seu cuidado


 Não é de hoje que o número de gatos tem crescido em todo Brasil . Eles recebem o carinho de filhos, netos e até de companheiros íntimos e, em virtude disso , vivem dentro dos lares com muitos mimos da mesma forma que os bebês.

Pensando nisso a Lillicapet vem se profissionalizando nesse mercado e apresenta seus novos modelos de arranhadores de gatos que são excelentes para eles brincarem pulando nas alturas  , deixando de arranhar seu sofá e também  local só pra eles domirem.

Esse mercado Pet  que movimenta cercade R$ 20 bilhões por ano no Brasil . e com uma população estimada em 132 milhões de pets , e é o setor que ocupa 0,36% no Pib Brasileiro.
 

terça-feira, junho 22, 2021

Kelly Blima apresenta mais um destaque na música gospel " Sopra neste Lugar "


 Um grande destaque chegando que nos fala sobre "Sopra neste lugar" pois ´só tu és digno de adoração .

A canção que está chegando de Kelly Blima vai transmitir uma mensagem de encorajamento espiritual. Trazer de volta a PRESENÇA do Espírito Santo.
Esse Single está marcado pra chegar agora no dia 02 Jul em todas as Plataformas digitais e nas rádios de sua cidade .
Esperamos de verdade a manifestação em nossas vidas .

segunda-feira, maio 31, 2021

Kelly Blima não cansa de evangelizar a palavra de Deus


  Kelly Blima é tida,atualmente, pela infinita graça e misericórida de Deus uma das maiores representações da música gospel brasileira. Foi ainda bem criança, que os 4 anos de idade já cantava incetivada por sua avó materna Temis de Oliveira, cantora evangélica a serviço do Reino de Deus . Toda sua adolescência integrou corais e grupos viajando por várias partes deste Brasil em igrejas, ar livres em praças, colégios vivendo o ide de Jesus .

  De forma peculiar inicou-se o ministério desta carioca que durante longo tempo relutou mas, convencida pelo Espírito Santo assumiu o ministério que já estava no coração de Deus .

  Kelly Blima gravou seu 1º cd "Acreditar em derrotas por que

e seu 2º cd "Ele vive em Mim "

trabalho este independente que á apresentou a um público ainda maior através de participações em Programas televisos RIT, CVC Boas Novas, Band,CNT grandes rádios de todo Brasil e até do exterior, revistas e jornais e atualmente nas Plataformas digitais com as Cançoes : Sobre a tua Palavra, Deus do Impossível, Só tu és Santo , Me Guia entre várias canções de outros cantores que foram sucesso em todo País . 

  Com uma agenda concorrida, tornando-a presença marcante em eventos, patrocinados por prefeituras, igrejas, entre outros, onde tem através da pregação da palavra de Deus e de sua música, honrado e feito conhecido o dono de sua vida e dons Jesus Cristo.

  Kelly Blima é casada com Lindomar Lima e mãe de 4 filhos. Além de ter estudado Teologia básica e música , é também compositora de grandes noms da música cristã brasileira 

Jefter Figueiredo da mais uma largada em sua caminhada em sua carreira musical

 



Ex vocalista do Grupo Liberdade , Jefter conquistou diversas vitórias em sua carreira solo . Com o Grupo Liberdade, foram cinco CDs gravados : “ Nem tudo está Perdido, A vitória é nossa  ,. Redenção, Sentimentos e 10 anos ao vivo”.

  Após sua saída do Grupo gravou seu primeiro CD solo: “Não Desanimes, Diante do Pai ,  Dá-me mais sede.” O estilo dos louvores de Jefter é voltado para adoração, canções românticas e baladas, e é ´daí que vem seus maiores sucessos.

  Durante seus 29 anos de ministério, obteve novo sucessos que marcaram nas rádios as músicas : Nem tudo está perdido, Mil vidas, Sentimentos, Adoração,Prisioneiro, Paz interior, Encontrei o amor, Redenção e Não desanimes.

  Estas canções alcançaram ótima execução em rádios conceituadas como a Melodia FM , Rede Aleluia, 88fm entre outras.

  As canções “Adoração e Sentimentos” estrelaram entre os primeiros lugares nos rankings nas mais pedidas dos  ouvintes destas rádios.

  No ano de 2003, Jefter Figueiredo participou do quadro Novos Talentos do Programa Gospel Line, aos sábados na Rede Record de televisão. Jefter foi selecionado dentre cinco mil candidatos inscritos no concurso.

  Após eliminatórias muito concorridas, o cantor chegou a final , obtendo o 2º lugar no festival da gravadora Line Records. Suas apresentações foram exibidas de maio a setembro de 2003 para todo Brasil e exterior (África, Colômbia e Estados Unidos ) . Seu nome foi divulgado também em diversos jornais e na internet (dentre outros , o site da Gravadora Line Records).

  Outro grande momento de celebridade foi quando Jefter participou do concurso Rio Talentos Gospel na CNT . O programa foi ao ar entre julho a setembro de 2004. O talento de Jefter foi reconhecido por todo o público carioca, sendo um dos dois finalistas dentre os oito participantes iniciais. Já foi divulgador da Gravadora Line Records, Toque no Altar Music. Desenvolveu um suporte de divulgação com o Cantor Marquinhos Gomes com a música “ Não Morrerei “ e atualmente em 2019 com a Cantora Midian Lima com a música “ Jó “ que alcançou mais de 400 milhões de visualizações nas Plataformas digitais.

  Para mais informações conhece suas Redes Sociais :

Faceboook / Instagram / Youtube / Telegram

terça-feira, abril 27, 2021

Saiba como participar dos suportes de divulgação de Jefter Figueiredo


Com 30 anos de carreira, Jefter Figueiredo tem uma história recheada de surpresas e experiência para se contar.


Seu amor pelo louvor surgiu muito cedo. Desde os 9 anos, o pequeno menino louvava ao Senhor em sua Igreja local, cujo pastor era seu pai Dario Figueiredo.
Grande foi sua trajetória como ministro de louvor, cantando em Igrejas da redondeza, principalmente, nos cultos de mocidade e participando de festivais musicais.
Até que, no ano de 1986 Jefter conhece o Grupo Liberdade, sucessivamente passa a ser o vocalista de louvor e grava seu 1°LP- “Nem tudo está perdido”.

Este momento foi proveitoso na vida do cantor e representou um grande passo em sua carreira. A partir daí, vieram novas gravações como: “A Vitória É Nossa”, “Redenção” “Sentimentos” e “10 Anos ao Vivo” (cd), alcançando mais de 30.000 cópias vendidas.
Em 1994 Jefter sai do grupo e decide seguir carreira solo, lançando em 1996 o Cd “Não desanimes, com o sucesso de “Adoração” e “Sentimentos”. Canções que ,na época, foram transmitidas pela Rede Aleluia - Igreja Universal do Reino de Deus. E até hoje repercutem pelas suas bela letras e expressivas harmonias.

Em 2001, o CD Diante do Pai foi lançado. Envolvendo canções de Ivanilson, Jadiel Barbosa (Banda Jesus para o mundo) e Davi Sacer – participação especial música “Bendito Seja Deus”. Mais tarde foram regravados louvores do Grupo Liberdade por meio dos Cds: “ Jefter Grupo Liberdade” e “Canções Inesquecíveis”.

Participou em 2003 do Festival Gospel Line da Rede Record de Televisão apresentado por Mara Maravilha onde conseguiu o 2º lugar. No ano seguinte, Jefter assumiu mais um desafio, participando do programa de Televisão- Rio Talentos Gospel, na CNT. Durante 3 meses o cantor passou por provas e grandes emoções no ar. Contudo, seu talento foi reconhecido por todo o público carioca, sendo um dos dois finalistas dentre os oito participantes iniciais.

Em 2009, o cantor grava seu último Cd “Dá-me mais sede”, distribuído por Toque no altar music. Músicas “O sacrifício” de Rafael Bittencourt (Vocalista do Toque no altar no Disco “Deus do Impossível”, “Vitória da Fé”) e “Dá-me mais sede” de David Cerqueira – sucesso em todo Brasil.


Além disso, Jefter também tem sua carreira de divulgador e consultor. Abrangendo serviços como: Gravadoras Line Records, Toque no Altar Music, Cantor Marquinhos Gomes, Rose Nascimento , Kelly Blima , Atualmente Midian Lima (Música “JÓ”).

Visite nossas Redes Sociais :

Site oficial : https://jefterfigueiredo.webnode.com/

Páginas Facebook :

Perfil : https://www.facebook.com/jefterfigueiredo

Jefter Figueiredo : https://www.facebook.com/jeftermarketing

Jefter Consultoria Marketing : https://www.facebook.com/jefterconsultoriademarketing

Rádio Sem Limites : https://www.facebook.com/RadioSemLimites

Reviver Representações : https://www.facebook.com/consultoriacantores

Jefter Produção Musical ; https://www.facebook.com/JefterProducaoMusicalEEventos


Notícias

Thiara Lopes - Bastidores da Gravação do Clipe "Canção dos Imperfeitos" ...

Pessoal dia 03 de Abril estréia mais um Clipe de Thiara Lopes " Canção dos Imperfeitos " . O clipe foi gravado em Israel co...

Saiba mais !